Notícias

FUNCIONÁRIOS SEM RECEBER. DINHEIRO VAI PARA FESO

Na tarde da última sexta-feira, quando a prefeitura iria liberar parte do pagamento dos salários para os funcionários ativos e inativos, uma decisão judicial determinou que o dinheiro fosse destinado ao pagamento da FESO, deixando os funcionários sem receber.

Com essa medida, até a presente data nenhum funcionário público conseguiu receber totalmente seu salário, já  que a prefeitura iria pagar valores menores a todos de acordo com seu caixa. A medida gerou grande confusão na cidade, com os funcionários em greve e alguns sem ter o que comer. Causou também um enorme desconforto com relação à FESO que foi no fim das coisas a responsável pelo não pagamento dos funcionários da PMT. Por outro lado também a greve do HCT continua, pois a mesma só será suspensa no momento em que a dívida da PMT com a FESO for quitada. Segundo informações, por exigência dos alunos que pagam quase seis mil reais por mês de mensalidade, o HCT estaria realizando alguns procedimentos médicos de interesse do ensino. Enquanto isso, pacientes de outros municípios continuam sendo atendidos na cidade. Em declaração no facebook, a reitora da FESO criticou a Tere TV por ter divulgado a entrevista da presidente do Sindicato dos Funcionários Públicos alegando que a FESO não tem culpa do não pagamento dos funcionários da prefeitura. Ainda no face, após dizer que o HCT poderia fechar, a mesma reitora afirmou que o Hospital não vai fechar pois já fez um convênio com a Prefeitura do Rio de Janeiro. Será que a FESO pretende usar uma estrutura que foi um dia Hospital Municipal e deixar o paciente de Teresópolis morrer em detrimento dos pacientes de outros municípios? Na verdade, enquanto muita besteira é dita na rede social, o povo é que paga a conta e continua sem atendimento e os funcionários das duas empresas continuam sendo desrespeitados sem salário. Como diz o ditado, na briga do mar com a pedra quem sofre é o marisco.

FESO não explica convenio

De acordo como Portal da Transparência um valor de quase R$300.000,00 foi disponibilizado para a FESO para “qualificar os agentes do Sistema de Garantia de Direitos, incluindo a segurança pública e o de Justiça, para a realização de ações preventivas e investigativas sobre crimes contra os direitos humanos de crianças e adolescentes”. Ao solicitarmos informações sobre o assunto à FESO recebemos a resposta de que não estão agendando entrevistas.teste

west_banner_site
Clique para Comentar

Deixe uma Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top